domingo, 3 de março de 2013

Perfeitamente imperfeito

A infinidade de sensações provocadas pela simples troca de um olhar, imaginário, arrebata o mais forte de espírito  o mais insensível dos seres.
Complexa, a mente que se vê espicaçada por sentimentos vários, envolve-se num novelo que nos faz questionar a mais sensata das decisões.
O bichinho do desconhecido, com a promessa de ser melhor que a actualidade, aprisiona-nos a racionalidade, tornando-nos vulneráveis ao sentir mais imediato.
A força avassaladora de uma atracção desmedida, tolda-nos o pensamento, sem que consigamos especular de forma mais rigorosa outras opções.
O ser humano mostra-se o elo mais fraco quando confrontado com aquilo que o distingue dos demais seres vivos.
Mas, não é isso que lhe confere uma certa beleza inigualável? A imprevisibilidade não é, na sua falta de perfeição, algo perfeito?

A minha fraqueza reside em ti, assim como a tua reside, certamente noutra pessoa, não devia ser perfeito?


4 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

As atracções desencontradas podem dar grandes textos, mas são uma chatice completa.
Melhor quando não há que escrever pelo que se gasta a no jogo do encantamento mútuo. (:

Sufocada disse...

Ah... vou guardar, foi tão bem dizido minha querida :D

POC disse...

Muito acima da média. Esses dois são uns sortudos.

Sufocada disse...

O manuel jaquim e a graça bernardete, uns amores ;)