domingo, 10 de junho de 2012

O que pode trazer um fim-de-semana?

A começar em sexta-feira: tive um encontro muito especial.
Ai a Sufocada teve um encontro, como é que é alguém se quer encontrar com uma pessoa assim...É, tive, com a minha madrinha!
Para que percebam o porque deste entusiasmo todo, tenho que retroceder 7 anos...
Tinha eu 13 anos, quando os meus padrinhos se separaram... Padrinhos esses que eu via como família, adorava ir para casa deles em Carcavelos, foram eles que me levaram à Disney em Paris quando tinha 10 anos, era com eles que ficava sempre que os meus pais tinham que me deixar com alguém, e eles sempre me trataram como se fosse a 3ª filha deles.
Foi então que à 7 anos atrás, quando eles se separaram, começaram também a afastar-se de mim e de forma gradual fomos perdendo o contacto. Contacto que foi agora recuperado com a minha madrinha, que me veio falar, que me veio pedir desculpas por ter estado ausente e que queria ter oportunidade de voltar a ganhar a minha amizade... E eu como já aqui disse 6794 vezes, sou uma rapariga generosa, de bem, que gosta pouco de chatices e acedi claro!

Então... Sexta-feira, combinámos e fomos as duas beber um copo depois das minhas aulas!
Fomos para um bar que tem música ao vivo depois da 12.30 - disse o porteiro, e nós todas contentes entrámos.
Ela pediu um café, eu pedi um São Francisco, bebida que consiste basicamente na mistura de todos os sumos de fruta e mais alguns... é bom! Posso trazer-vos pipocas? - perguntou a empregada, e eu que sou uma devoradora de pipocas acenei que sim, estavam rançosas, a minha madrinha quando as provou fez uma careta e eu acabei por as comer todas, acho que era dos nervos!
A conversa é posta em dia e rapidamente estamos as duas a rir um com a outra como se nunca se tivessem passados 7 anos, e é então que chega o momento da música ao vivo, coisa que pensei eu, iria ser leve e tal tipo música de fundo que nos permitisse aprecia-la ao mesmo tempo que podíamos continuar a falar! Pensei isso até ao 1º segundo da 1ª música, que sem exagero algum, me furou, arrebentou, estripou os tímpanos! Afinal a música ao vivo era BARULHO ao vivo, uma daquelas bandas que só grita, em que parece que o baterista está a ter um ataque severo, em que os guitarristas abanam as suas melenas de cabelo como se tivessem a sacudir a roupa... Mau, muito mau!
Enfim, ainda fomos para a esplanada falar mais um pouco e no fim fiquei bem-disposta por esta nova fase! (ahahah, desculpem mas esta última frase só me dá para rir, vou começar a escrever entradas de diário o que acham? Me-do)

To be continued...

8 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

Escreve o que bem entenderes, somos corajosos. ;)

Acabei a rir com a descrição da música ambiente, também é bom saber que laços tão importantes para ti foram reatados.

POC disse...

Errar faz parte. Reconhecer o erro e voltar é de valor.

Sufocada disse...

Uma Rapariga Simples, Música ambiente é um eufemismo fantástico :)

POC, quem fala assim não é gago ;)

Xs disse...

Boa!!!
É sempre bom voltar a falar com as pessoas de quem nós gostamos!!!
Muito bem!
Espero que se voltem a dar como antigamente!! :)

Sufocada disse...

Também tenho esperança que assim seja :)

Vic disse...

Lê os livros do Adrien Mole. Podem ser uma inspiração :)

Sufocada disse...

Inspiração para o que?
De qualquer maneira vou pesquisar esse senhor :)

Sufocada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.