quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

No fundo, no fundo sou só uma rebelde..

Houve um dia e não há muito tempo, que me quiseram definir numa única palavra.
‘ Deixa-me explicar-te o porque de seres assim!‘
‘ Assim?‘
‘ Sim. Porque é que cortas o cabelo dessa maneira, porque é que te tatuas, porque tens essa maneira estranha de ver as coisas, porque é que achas que como tu pensas é que está certo...‘
‘Então?‘
‘ Isso chama-se rebeldia, e um dia vais perceber que estavas errada, vais pensar como o resto das pessoas e agir como o resto da pessoas, como eu!‘

Sou sincera, essa foi uma noite muito longa, muito estranha... e quando fui para casa, talvez um pouco adulterada por coisas, deitei-me a pensar nisso. Pensei se era só uma questão de estar contra o que os outros pensavam e faziam, era eu contra a grande maioria? E porquê?
Podia ser traduzida pela palavra rebelde? E daqui a uns anos estaria casada, com 2 a 4 filhos, cá dentro sem perspectivas de uma aventura na selva?

Depois chegou o dia em que fiz mais uma tatuagem... e esqueci-me do resto!


2 comentários:

pedro segue disse...

a rebeldia não é um carimbo

Sufocada disse...

Indeed!
E fosse eu tão simples assim de se definir... :)