sábado, 3 de agosto de 2013

Inocências à parte...

Num natal, há tempos idos, ainda eu tinha um metro meio e usava um boné com a pala virada para trás, desafiei o meu primo para um brincadeira: atirar laranjas à casa da vizinha.
O meu primo que como eu, estava sempre pronto pró disparate, aceitou.

Então na noite de 24 de Dezembro de mil nove e coiso, eu e o meu primo atacamos a laranjeira do meu avô, e todos contentes, atirámos as laranjas todas contra a parede da vivenda vizinha.

No dia 25, a Dª Augusta (a vizinha) aparece lá em casa aos berros com o meu avô. O que tínhamos nós feito?

Além de mancharmos a imaculada parede branca de sua casa, que ficou alegremente sarapintada de laranja, ainda lhe matámos 2 ou 3 galinhas (foram as laranjas que não chegaram à parede).

Eu era uma doce, em pequenina? Um anjo.

3 comentários:

Carla Pinto Coelho disse...

Ai que palmadas tão bem dadas!

Sufocada disse...

O meu avô marcava-me os 5 dedos no rabo, era certinho :P

DN disse...

ahahah tão bom :)))