terça-feira, 8 de maio de 2012

Não nos podemos rir todos do mesmo!

E para celebrar os 41 Sufocados... coisa nenhuma, 41 é número de jeito? Eu gosto de números redondos like 20/40/50/300...

Ora o que queria realmente dizer é, quem me vai conhecendo minimamente sabe que eu mais do que humor cómico estúpido e parvo sem qualquer sentido, gosto de humor negro, sardónico e sombrio. Mandar piadas sobre a morte ou um esquartejamento é que é, e eu sou especialmente sombria quando mando piadas (porque eu sou uma autêntica profissional, stand up comedy e coisas assim, faço milhões) são normalmente assim um bocado mórbidas.

Uma que gosto especialmente, que não é uma piada conhecida, mas sim de foro pessoal e que toca num assunto bastante delicado, pelo menos para mim é:

Estava eu a estagiar num Hospital Veterinário, quando sou chamada para ajudar um veterinário numa eutanásia a um cãozinho que tinha alguns problemas de saúde, problemas esses que com algum empenho tanto financeiro como de vontade dos donos podiam ser facilmente resolvidos, mas os donos pouco se importaram e mandaram o bicho para a forca.
Pediram para se despedir do animal antes da eutanásia, e depois, quando já ele estivesse inanimado. Tudo bem. Eles choram e abraçam o cão e depois saem, eu e a doutora preparamos as coisas para dar a injecção letal e depois de dada a doutora inclina-se por sobre o cão para o oscultar, de modo a sabermos quando o batimento cardíaco cessa.
É então que o inevitável acontece e quando a doutora se inclina para o cão este, já sem controlo algum das suas capacidades motoras e necessidades lança um jacto de xixi para a bata branquinha da médica.
E agora? Ficámos a olhar uma para a outra com o pensamento no "rir, não rir, vai parecer mal rir-me, o cãozinho morreu" e é aí que perdemos também nós o controlo e gargalhamos de mansinho para não se ouvir do lado de fora.

Compreendam, é uma situação delicada, de stress e tensa, eu quando fazia estas coisas saia sempre com um peso nos ombros terrível, do consultório e no meio da emoção, aquela libertação por parte do animal - que é bastante normal quando eutanasiado - foi o ponto de ruptura. Mas sem qualquer falta de respeito para com a vida daquele ser.

Enfim, sou ruim, eu sei!



5 comentários:

Miss Cheque-Mate disse...

às vezes é esse teu sentido do humor que, apesar de sombrio, me faz dar boas gargalhadas. outras vezes deixa-me a olhar para ti sem reacção. mas sabes que mais? tu és assim e é assim que eu gosto =)

Uma Rapariga Simples disse...

Entendo-te perfeitamente. Às vezes é mais forte do que a circunstância.

Comigo acontece quando estou furiosa, apura-me a malvadez e digo coisas que no estado normal nem pensaria, ou então em situações tipo a tua. :P

41 é um bom número, eu estou lá! :D

Sufocada disse...

Miss Cheque-Mate, Verdade! Há vezes em que ficam a olhar para mim tipo - " tu não disses-te isso"! Mas eu sei que vocês me aceitam como eu sou e por isso é que também gosto de vocês :)

Uma Rapariga Simples, Há vezes em que é terrivel, principlamente quando é com pessoas que não nos conheçem!

Ps. 41 é excelente :D

POC disse...

E 41 é mais que 40.

Sufocada disse...

Exacto logo aí é o melhor número do mundo, até ver :)