segunda-feira, 21 de maio de 2012

Monstros de bata branca

Amanhece, o tempo lá fora ainda está encoberto, o sol tenta espreitar, mas sem sucesso.
Os olhos estão pesados e a cabeça lateja fortemente, as roupas da cama estão revoltas e as mãos não param de tremer, o quarto parece abafado e escuro.
A casa está silenciosa ouvindo-se apenas o leve ressonar de quem dorme. Uns lindos e grandes olhos amarelos espreitam na entrada do quarto e com um movimento atabalhoado de mão, aproxima-se saltando para a cama e aconchega-se na personificação da ansiedade. As mãos ainda desajeitadas começam um movimento regular por entre o pêlo preto luzidio, acabando o movimento por se tornar relaxante.
Depois de algumas horas neste transe a vida desperta pela casa e ouve-se o barulho da água a correr no chuveiro, há também barulho que vem da cozinha e começa a cheirar a ovos e torradas - depois das 9.00h não pode comer mais pelo que terá de ter um pequeno-almoço reforçado - no quarto ao lado os estores são bruscamente levantados deixando a claridade invadir o resto da casa.
Os corpos movem-se numa dança automática e silenciosa, ninguém quer falar, ninguém quer relembrar o que vai acontecer.
A bola de pêlo esperguiça-se e salta para o chão, caminhando languidamente em direcção à cozinha, também ela vai comer.
O roupeiro é aberto no quarto escuro e as cores das roupas parecem demasiado intensas, ao calhas, duas peças são arrancadas dos cabides, aterrando na cama, o computador é ligado e passados uns minutos ouve-se o sinal de uma mensagem a chegar, reconforta.
O tempo entre o "arranjar" e o sair de casa esvanece-se e quatro entram no carro. As rodas giram sobre o alcatrão e das colunas, em jeito de som de fundo, ouve-se uma voz espanhola. Pela janela entram alguns raios de sol tímidos, parece que este sempre venceu a luta contra as nuvens. Em menos de nada estão sentados num sofá confortável, de cabeça baixa. O cheiro é desesperantemente familiar e as pernas estão irrequietas.
Aparece uma senhora de cara simpática, o cabelo loiro acobreado apanhado num carrapito, traz uma farda de camisola e calças brancas com uma risca verde água; profere um nome conhecido e 4 cabeças voltam-se, 8 pernas caminham na sua direcção com a expectativa a correr freneticamente pelas veias.
Está na hora de enfrentar os monstros de bata branca, suspirando, obrigo-me a sorrir para a mulher com caracóis loiros e castanhos, a mulher que me conhece melhor que ninguém - Vai correr bem -digo!


Eu sei escrever sériamente sobre assuntos sérios, a sério!
É favor de dar o desconto!

20 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

Qual desconto? Valorização! :)
Sabes realmente escrever, não peças desculpa por isso.

Os monstros de bata branca são muitas vezes seres alados que melhoram a vida de quem não está bem.

É a vida a ficar melhor e isso só pode ser bom.

bacione

Sufocada disse...

Salvadores na maior parte das vezes, sem dúvida.
"Monstros" não é degenerativo no geral :)

Obrigado minha querida,
Beijo beijinho :)

Silk Girl disse...

E correu bem? Mais calminha today? :-)

Sufocada disse...

Correu bem, a mãe já está em casa!
Estou um bocadinho mais calma, obrigada ;)

Miss Murder disse...

Não gosto nada de médicos, nunca gostei. Ainda bem que correu tudo bem.

Sufocada disse...

Também não sou fã desses sujeitos :P

Silk Girl disse...

Desculpa a reconhecida ignorância, mas foste mãe ou a tua mãe é que foi aos Srs. de bata branca? ;-))

Sufocada disse...

A minha mãe é que foi :)

Silk Girl disse...

Ah tá bem...sorry descobri o teu blog há mto pouco tempo (1 dia) ;-) daí este tipo de indagação

Sufocada disse...

Not a problem :)
Pergunta sempre que quiseres, eu posso parecer algo...bruta mas no fundo sou um amor de pessoa!

E bem-vinda a este antro de depravação ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Eu assino por baixo. ;)

Sufocada disse...

No facto de ser boa pessoa certo? lol

Uma Rapariga Simples disse...

Também. lol
;)

Sufocada disse...

ahaha, gosto tanto dos meus leitores :D
E não estou a ser irónica!

Ps. Há um que pelo tempo que dispende aqui não merece o carinho, you know who! lol

POC disse...

Melhor texto já aqui escrito.
Mas que não seja só isto, que a vida tem que se levar na boa.

Parabéns*

Uma Rapariga Simples disse...

Eu também gosto dos meus, especialmente por serem poucos e dizerem sempre o que pensam, mesmo que seja diferente do que eu penso. :)

Yes, I do know! ;)

Sufocada disse...

POC, fala-se no diabo (aliás é para verem que o meu post de hoje faz todo o sentido, até aqui).
Obrigada :), e sim a vida é sempre na boa!

Uma Rapariga Simples, Exacto não temos cá daqueles " passei por aqui, comenta no meu" que me tiram imediatamente o interesse de lá ir lol

Silk Girl disse...

Algo bruta? Nah, nem se nota nada eh eh eh! Isso é que dá pica ao teu blog, dizes o que te vai na telha! Os brutos (alguns) são os mais sensíveis, só têm uma capa dura pa disfarçar, digo eu cus nervos ;-)

Silk Girl disse...

PS - Publiquei o comment às 10h31, k raio de horario é akele? ;-) 02h31 ai a porra ;)

Sufocada disse...

Eu não tenho fraquezas, sou a super mulher...
Estou a brincar, claro, mas o objectivo do blog é mesmo esse :P

Ah sobre os horarios é uma contradição, é que eu sou das pessoas mais pontuais de sempre, sério, por isso aqui jogo ao contrário ;)